Os Mestres e Nibiru

Há muito tempo que mantenho contacto com alguns «Manos» como eu lhes chamo, carinhosamente, pois , para mim são irmãos mais velhos no Universo que velam por nós, dando-nos instruções com quem  contacto habitualmente :

1º com Sanat Kumara – se procurarem na net encontram informações sobre essa entidade. Esteve encarregado de conduzir a Terra a bom porto, cargo que delegou recentemente em Lord Buda Guautama, Sanat Kumara tomou lugar como «Presidente» (não consigo outra palavra) do Grande Conselho dos Kumaras, que se Sírius preside à movimentação / evolução de alguns planetas, entre os quais o nosso que faz em 2012 a sua transição para a 4ª dimensão.

2º - Almaris – uma Kumara com assento no Conselho de Kumaras, uma entidade feminina, que se apresenta vestida de verde água, com um vestido comprido e uma capa, tudo verde água, mas a capa é toda como que bordada de estrelas douradas. Ela é a >Senhora das águas.

Neste momento, como falam comigo:

- Basta que eu comece a falar neles para estarem presentes e transmitirem informações sobre o que nós precisarmos, seja sobre ocorrências para as quais nos devemos preparar, seja sobre o nosso comportamento.

Por exemplo :

Desde o início deste ano me disseram que eu e o meu grupo (oriento um grupo de meditação em Coimbra) deveríamos aproveitar os portais que este ano iam estar abertos, em datas precisas (que me deram) e por onde drenaria enorme quantidade de Luz sobre a Terra.

Tudo o que «Ambos» me comunicaram se tem vindo a verificar.

Disseram que depois do solstício de verão os efeitos da passagem de Nibiru se começariam a sentir, pois que ele estava já muito perto (vim a constatar que segundo o cientista Salvatore de Salvo, em Dezembro último estava a 11 Ua) e que por isso muita coisa aconteceria, do tipo : quedas de aviões, pioria da conjuntura económica mundial, da violência.

Mas nunca me dizem datas, porque isso poderia interferir com o carma das pessoas envolvidas. Repare-se que num mês já cariam uns 3 aviões.

A nível dos comportamentos pessoais, são muito claros:

Neste momento dizem que é fundamental fazer a unidade/união entre todos os grupos e pessoas ligadas ao crescimento espiritual e ensinaram um exercício para o fazer: nós concentramo-nos em receber Luz a entrar pelo nosso chakra da coroa e depois conduzimo-la ao coração onde a manuseamos no sentido de a transformar em Amor, fazêmo-la sair pelo chakra cardíaco em direcção ao Universo com a intenção de atingir todos os «irmãos de Luz».

É curioso que todos vemos sair de nós um feixe de luz tipo arco-íris e subir para o céu e um pouco acima das nossas cabeças começa a entrançar-se e vai ganhando sempre mais feixes, até subir imenso e rebentar estilo foguete de lágrimas e derramar essas estrelinhas sobre toda a terra. É um trabalho lindíssimo!

Outra coisa a que apelam é à aceitação de tudo, seja a nossa vida do quotidiano, sejam mesmo as atrocidades, porque também essas estão dentro do Plano Cósmico para o momento. E sobretudo nunca fazer juízos de valor, pois nós nem as lições que nós mesmos temos que aprender sabemos quais são quanto mais as dos outros!

Apenas teremos de envolver as pessoas envolvidas nessas situações em amor e pedir que em amor cumpram o seu contrato.

Geralmente, quando é Almaris a estar presente há uma sensação de frio generalizada, a sua energia é uma energia fria, talvez por ser uma energia da água, isto é da quinta dimensão. Com Sanat Kumara sente-se um calor, mesmo no Inverno! Com ambos a força é imensa.

Desejo-vos toda a Luz

Maria Leonor
Coimbra


Neste fim-de-semana do Solstício de verão (20 Junho 2009) fui a Sintra, à Quinta da Regaleira, com o meu grupo de meditação, para fazermos uma meditação especial de ancoramento de Luz.

Lá, recebemos a seguinte mensagem:

Queridos irmãos:

Obrigada pela vossa presença aqui e pela vossa disponibilidade para o serviço. As Portas do Templo de Melquisedeque estão abertas para vos receber. Os que no Ano anterior ficaram no portal, entrarão hoje para o átrio. Esperem sentir a energia que vos será dispensada para a execução dos trabalhos de colaboração que vos serão pedidos. Nunca estarão sozinhos.

Neste tempo de agora e até lhes darmos novas instruções, preocupem-se em fazer a união entre todos os que trabalham na espiritualidade, de todos os quadrantes. Ancorem Luz e transformem-na em arco-íris, no vosso coração, depois lancem arco-íris pelo vosso chacra da coroa: primeiro para todos os vossos conhecidos que se dedicam a evoluir espiritualmente, depois para todos os que o fazem em todo o planeta. Esse é o vosso trabalho, agora.

Não se preocupem a dar explicações, dêem amor e transmitam Luz. O assunto dos que andam fora da Lei não vos pertence. Não percam tempo com eles, nem com preocupações com coisas que a muito curto prazo deixarão de existir. Façam o vosso papel, nunca desperdicem uma oportunidade de ministrar um conhecimento, mas o que a pessoa faz com ele não é da vossa conta.

Porque se insistem em querer mudar, quem já fez a sua opção, estarão vocês a perder energia e a dificultar o nosso trabalho.

Centrem-se em vocês mesmos. Evoluam cada um, de forma a alargar o seu campo electromagnético e com ele atingirem, sem se darem conta, toda a humanidade.

Grandes quantidades de Luz estão a cair sobre a Terra. Ancorem-na, transformem-na em Amor e direccionem-no para toda a humanidade.

Ergam comunidades de carácter espiritual.

Sejam puros de coração, tranquilos nas vossas resoluções e amorosos no contacto com os demais. Mais tarde e em tempo oportuno lhes darei informações sobre os acontecimentos que se aproximam. Por hora é só isto, esta actuação formará um escudo protector em volta de todos os que militam na Luz.

Fiquem na Paz, mais uma vez reitero a nossa gratidão.

Vosso pai, vosso irmão maior Sanat Kumara»

Esta foi a comunicação. Agora vou contar-lhe o que aconteceu a seguir. Descemos o poço imperfeito, seguimos ao longo do túnel, para simbolizar a descida à noite negra da alma e a purificação. Já no poço perfeito, fizemos nova meditação, onde pusemos em prática o exercício dos arco-íris que Sanat Kumara tinha ensinado.

Foi um momento estrondoso!

Todos vimos a mesma coisa: um tubo de Luz intensíssima desceu no meio de nós e irradiou sobre as nossas cabeças e entrou no nosso corpo e todos sentimos o coração acelerado. Depois, soltámos o arco-íris, e vimos um arco-íris sair da cabeça de cada um e a escassos metros acima começar a entrançarem-se todos num imenso feixe de luz enrolado, tipo corda. Subiu, subiu e muito lá no alto dispersou, parecia um espectáculo de foguetes de lágrimas, em que cada luz atingia todos os quadrantes da terra. Foi lindo vê-lo cair sobre pessoas nossas conhecidas que não puderam ir e que também estavam em meditação.

Ninguém queria regressar, tal era a Paz e o sentido de união que ali estava.

Por agora estamos a fazer como nos pediram e sabemos que mais tarde nos darão ajustes às informações que já temos sobre a Passagem, em 2012.

Obrigada pela atenção que me dispensou.

Maria Leonor
Coimbra