Autenticação

Faça o Login com os dados usados no forum.



(para ficar registado no portal, terá de se registar no forum da APO)

Desenhos da Carla

Procurar neste site - também no Google - coloque apovni + palavra a procurar

Perda de tempo na A5 PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Avaliação: / 14
FracoBom 
artigos da APO - Casos Portugueses
Escrito por Luís Aparício   
Terça, 03 Janeiro 2012 21:49

Isabel de Sousa tem 22 anos, trabalha em marketing, no dia 16 de Novembro 2011, às 00,37 horas ia na auto-estrada A5 que liga Lisboa a Cascais, quando ia a passar em frente a Miraflores viu um objecto voador não identificado, visto que não o identificou e não sabe o que era. Tinha a cor de laranja por de sol ou cor de fogo, tinha a forma dum prato virado ao contrário. Como vinha de Lisboa, o ovni, apareceu-lhe do lado direito, e estaria talvez na vertical de Carnaxide ou um pouco mais longe. Esse objecto apareceu-lhe no céu quatro vezes com uma luz super brilhante e teria à distância dum braço estendido, cerca de 12 cm de diâmetro e 5 cm de altura.

Nessa noite, precisamente à mesma hora que a Isabel Sousa viu o ovni, imensos alarmes começaram a tocar sem razão aparente, diz a Isabel que uma estação de TV noticiou este acontecimento e no facebook também foi comentado esse facto. Isabel salienta que quando ia de carro, não ouviu os alarmes a tocar mas um amigo seu viu um post no facebook a relatar que em Carnaxide e em Linda-a-Velha soaram imensos alarmes ao mesmo tempo, portanto estes alarmes coincidiram com a observação do ovni que efectivamente estava por cima das localidades Linda-a-Velha e Carnaxide. Lembramos que Linda-a-Velha está do lado esquerdo e Carnaxide está no lado direito da A5, no sentido Lisboa Cascais.

 

Isabel Sousa lembra-se de a última vez que olhou para o relógio era 00,37 horas do dia 16 de Novembro 2011.

Isabel viu que ovni, quando estava a passar na A5 em frente a Miraflores, e sente que o ovni, estaria muito mais distante do lado direito a A5, estaria talvez atrás de Carnaxide. Quando à altitude refere que estaria á mesma altura que os aviões do aeródromo utilizam para aterrar neste aeródromo, talvez 300 metros de altitude.

Isabel, relata que aquilo que viu foi uma luz cor de laranja fluorescente, e não conseguiu ver nenhum pormenor naquela nave nem janelas, viu somente a silhueta no clarão, adianta que até parecia aquilo que se vê nos filmes. Aquela silhueta apareceu-lhe quatro vezes, exactamente à mesma distância, uma das outras, também exactamente com o mesmo intervalo de tempo.

Desenho da silhueta dentro da luz, pela Isabel Sousa

Isabel diz-nos com convicção, ele (o ovni) era grande mas eu vi-o pequenino. A luz cor de laranja fluorescente que emitiu em cada uma das quatro vezes era tão intensa, só podia ser um ovni muito grande. A luz também poderia ser como a cor de fogo, ou cor do por do sol.

Isabel Sousa vinha de cantar o fado em Lisboa, normalmente acaba mais tarde os espectáculos, ia a olhar para o céu, porque estava Lua Cheia, o céu estava carregado de nuvens. Ao mesmo tempo que ia a conduzir estava a escutar uma música que dava na rádio.

Quando viu aquela luz super intensa à sua direita Isabel ficou em pânico e ia nessa altura lembra-se que ia 160 Km à hora. Na saída de Oeiras olhou para o conta-quilómetros só já ia a 20 km na auto-estrada A5, o que na sua óptica é um perigo. Entre Miraflores e porção da auto-estrada que passa em frente à saída para Oeiras, não se lembra de nenhuns carros que tenham passado por si, a música que estava a ouvir já tinha acabado e estava a dar outra. Isabel pensa que essa música que estava a ouvir, quando viu o ovni em Miraflores, teria durado 3 minutos. Quando deu por si a passar em frente à saída para Oeiras, lembra-se de pensar «vá lá apareçam mais uma vez».

Isabel tem ainda a convicção que não lhe quiseram fazer mal. No seu íntimo sente que eles queriam ser vistos por ela. Na primeira fez que a nave piscou, teve a certeza que lhe estavam a querer dizer “Olá estamos aqui”.

Quando verificou que estava a 20 Km/hora começou chorar intensamente, ficou cheio de medo e olhou para o relógio e já eram 00.45 horas e já estava passar em frente à saída da A5 para Oeiras a uma distância 7km. Deduz que foi a 20 km/hora desde Carnaxide até Oeiras, o que para si não bate certo o tempo perdido. Para si este trajecto durou 1 segundo, mas na realidade foram 8 minutos.

Desde muito nova se lembra de falar com o seu avô dos diversos contactos que ele teve e das descrições que o mesmo fazia dos seres cinzentos com uma grande cabeça, mas sempre a sua família tinha brincado com esta situação, não acreditando naquilo que o avô dizia.

Nota:

Fomos estudar o local onde Isabel teria visto o ovni e na nossa opinião, para ela ver o ovni à direita, seria somente no trajecto depois de ter passado baixo da ponte que faz a ligação Miraflores à Portela de Carnaxide e inicio do Alto de Barronhos, distando entre estes dois pontos 390 metros. A localização onde o ovni estaria, segundo a visita que fizemos ao local, seria por detrás do Vértice geodésico Mama Sul em Carnaxide.


Luís Aparício

atualizado em Sexta, 06 Janeiro 2012 22:21
 
VALID CSS
  |   VALID XHTML