Próximo Encontro / Palestra da A.P.O

Próxima palestra

Local:  Espiral
Morada: Praça Ilha do Faial, 13 Lisboa (Dona Estefánia)

Data: 9 novembro 2019

Tema: Analise do momento ovnilógico

Palestrante: Luís Aparício e Luís Beja 

           Entrada livre

 

Utilizadores no forum

Forum

We have 13 guests and 0 members online

    Portal

    We have 0 guests and 0 members online

      Tópicos activos

      Transmutação no Algarve PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
      Avaliação: / 1
      FracoBom 
      artigos da APO - Casos Portugueses
      Escrito por Administrator   
      Domingo, 25 Novembro 2007 22:18
      Jyoti é uma senhora hoje com 49 anos e os seus familiares são de origem Indiana. Das muitas vezes que já nos encontramos sempre falamos e nunca tive nenhuma desconfiança quanto às suas afirmações. Sei da sua grande sensibilidade para ver o astral e houve uma vez que esta senhora, após uma reunião onde estávamos disse para os presentes “ficou aqui um gnomo a brincar no ar”.

      Significa isso que possui a capacidade de ver o astral, o que a torna um ser muito especial, atendendo que é raro encontrar pessoas que vêm o astral. Disse-nos igualmente que a sua visão também detecta a presença de fadas ao ar livre, como por exemplo em jardins.



      Mapa do Algarve


      No passado dia 26 de Setembro 2007 a Jyoti esteve hospedada no sexto andar de um bloco de apartamentos, em Monte Gordo no Algarve, a 350 Km a sueste de Lisboa.
      Era cerca das 19 horas, o céu estava completamente limpo, quando avistou uma imensa nave por cima de Monte Gordo e mais quatro naves que poderiam ter o tamanho de três campos de futebol, cada uma.

      Diz-nos igualmente que à distância havia mais naves de tal maneira que as mesmas ocupavam todo o seu horizonte visual. O local onde as avistou estava situado no sexto andar de um edifício. Na sua opinião acha que essas naves estavam ali numa acção de trabalhar ou transformar as pessoas que se encontravam naquela zona do Sul de Portugal.

      Segundo a Jyoti as naves estavam todas na mesma altitude e paradas. Quando se apercebeu da sua presença, teve a sensação que não podia perder aquele momento e fotografou a nave maior com o seu telemóvel. Depois mandou a foto a partir do telemóvel para o e-mail de Luís Aparício.

      No seus afazeres domésticos veio diversas vezes à varanda e as naves ficaram lá muito tempo, tendo notado que na nave maior havia inúmeras janelas sem conseguir saber ao certo o seu número de tal maneira eram tantas.

      Todas aquelas naves não produziam qualquer ruído ou emitiam luzes para o solo.
      Inquirida quanto à altitude e às reais dimensões das naves, afirmou que não tinha sensibilidade para determina-las.

      Esta não foi a primeira vez que viu naves, tendo noutras vezes, feito avistamentos em diversos pontos de Portugal.

      Na foto que enviou, tirada com um telemóvel Nokia 6111, a Jyoti diz que a nave maior encontra-se lá embora não perceptível, na sua forma arredondada. As nuvens dão a configuração real das naves. Na conversa que tivemos com ela a Jyoti, reafirma o céu estava completamente limpo e aquelas nuvens vistas no céu (da nave maior), conforme foto abaixo.




      Nave grande / principal, conforme se pode ver da esquerda à direita (ocupa o céu).


      A mesma foto em negativo dá para perceber que estamos debaixo de algo côncavo por baixo.

      Eis o texto que a Jyoti nos mandou:

      As naves estão na terra e sobrevoando a terra, pois os nossos irmãos resolveram dar-nos uma ajuda neste processo de transmutação, de transformação que muitos de nós estão a ser alvo de para poder passar para o novo mundo que se aproxima cada vez mais rápido.

      O que aconteceu naquela noite foi um alinhamento horizontal em círculo, das naves, apanhando todo o Algarve e Alentejo, havia uma principal (maior que as outras) e todas as outras, com diferentes trabalhos, e algumas até só com um tipo de trabalho. Foi uma laboração contínua, durante muito tempo (das 19h até às 22h).

      O que aconteceu foi que os nossos irmãos permitiram que se visse esta formação de naves, sob forma de nuvens muito bem desenhadas.

      Nem todos os seres têm autorização de entrar numa nave, ou seja, uns seres entram num tipo de nave e outros noutro tipo de nave, e a entrada não é para qualquer ser. As pessoas que não se consegue tratar/trabalhar na terra, há necessidade de os transportar para bordo dessas naves, onde aguardam seres cristalinos transparentes puros.
      Os seres que se encontram nas naves não são todos iguais, dependendo do seu trabalho. Por exemplo, os seres que tratam/operam são de cor violeta translúcido. Assim como a nave o é.

      A sua deslocação não é pisando o solo, pois que, não existe um solo para pisar, como nós fazemos em cima da Terra. Na sala onde se fazem operações/tratamentos tudo é de cor violeta translúcido com um brilho diferente, bem como os seres, as mesas são suspensas. As salas de reuniões são ovaladas de cor amarelo/laranja/dourado.
      Não existe entre eles a linguagem falada.

      Estes seres quando têm necessidade de vir à Terra, não andam pisando a terra como nós os terrenos o fazemos, mas sim, deslocando/”andando” no ar.

      Lá dentro das naves é tudo é enormíssimo. Cada uma delas é enormíssima.
      Há vários compartimentos dentro de cada nave, para distintos casos e distintas classes.
      As naves são diferentes no seu interior.
      A nave grande, tinha praticamente o tamanho da baia desde Vila Real Stº António até Manta Rota.

      Alguns trabalhos que se efectuam são de forma a alterar os nossos “chakras”, o nosso “centro” com a consequente alteração DNA e a informação/programação de molde a estar “programado” para esta nova era, que será livre de várias doenças.

      Jyoti

       




      Nota:

      Sabemos que esta notícia insere várias novidades e várias teorias novas. Poucas notícias na ovnilogia mundial, publicaram algo deste género. Os muitos fóruns de ovnilogia e os diversos sites, falam muitas vezes em passagens para a nova era etc, mas haver alguém que fisicamente tenha presenciado ou visto esse intercâmbio, é mesmo raro.

      A questão da ascensão, a transmutação de seres humanos para novas frequências, a passagem do planeta vermelho, a vinda de Nibiru, faz já parte de todo um conjunto de informações que nos vêm chegando.

      Será que as pessoas do Algarve e do Alentejo foram realmente bafejados por uma transmutação? Fica ao cuidado do leitor o juízo sobre esta informação, não digam que não, apenas fiquem atentos a possíveis acontecimentos semelhantes noutras partes da Terra.
      No dia 6 de Novembro 2007, foram avistadas duas bolas vermelhas, noticiadas na APO através da amável cedência do Jornal Algarvio de língua inglesa, The Resident

      Luís Aparício
      Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript ativado para o visualizar

      atualizado em Segunda, 25 Janeiro 2010 23:09
       
      VALID CSS
        |   VALID XHTML