Disco avistado da Medrosa PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Avaliação: / 7
FracoBom 
artigos da APO - Casos Portugueses
Escrito por Luís Aparício   
Quarta, 15 Janeiro 2014 22:13

No dia 12 de janeiro 2014, pelas 00,25 horas , Rui Cruz, funcionário público, a residir na Medrosa (por detrás das instalações da NATO em Oeiras), reparou numa luz parada no céu com a forma de linha, posicionada em frente ao mar, na direção sul/sudoeste. Do lado esquerdo a luz era vermelha e do lado direito tinha a luz azul que ocupava cerca de dois terços dessa linha. Essa linha de luz esteve parada entre 2 a 3 minutos.

Rui Cruz ao perceber que algo se estava a passar dado que não era normal diz-nos «riu-se para si mesmo, não é possível outra vez e mais uma vez não tive ninguém ao meu lado para presenciar aquele acontecimento».

Após esses dois/três minutos essa linha de luz desceu bastante lentamente, em direção ao mar, deixando de a ver, quando possivelmente a mesma entrou no mar. Rui Cruz pensa que essa luz à distância dum braço estendido teria cerca de 7 mm. 

Rui Cruz pensa que essa luz terá penetrado no mar numa linha imaginária entre o forte de S. Julião da Barra e o cabo espichel com possíveis coordenadas 38º32' 55.91 N e 9º 20' 19,92" O.

Rui Cruz diz que nessa zona há imensos barcos naufragados e disse-nos também que conhece perfeitamente as rotas dos aviões que vão aterrar no aeroporto de Lisboa.

Desta vez conseguiu tirar uma foto com o telemóvel a qual apresenta-se muito escura. Mas aumentando a foto essa linha de luz tem a forma dum disco amarelo.

Sente que mais uma vez foi-lhe dado a oportunidade de observar um fenómeno que é difícil de explicar.

Devemos notar que o Rui Cruz, já no dia 12 de Setembro de 2010, às 00,30 horas, viu durante cerca de 15 minutos, na sua casa viu também um acontecimento igual, narrado no site da APO, com o nome «Medrosa vê ovnis».

Luís Aparício

atualizado em Segunda, 20 Janeiro 2014 20:45
 
VALID CSS
  |   VALID XHTML