15 Ovnis sobre Lisboa

O mais estranho que notou neste evento, foi que alguns deles pararam sobre Lisboa, daí não ser plausível serem aviões. Refere ainda que não conseguiu vislumbrar a sua forma nem o tamanho, devido à sua altitude. À frente dessa nave havia um brilho.

Relatou-nos igualmente que há cerca de um mês avistou uma nave circular muito grande sobre Lisboa – S. Domingos de Benfica, ao por do sol, quando estava a já a anoitecer. A referida nave estava meio encoberta pela falta de luminosidade do dia, sendo por isso pouco perceptível.
Antes desta observação, quando estava dentro da sua casa, primeiro começou a ter imagens do computador da nave. Essa transmissão mostrava uma zona num lugar dum continente desconhecido.
Enquanto estava a receber as imagens daquela zona, sobre essa imagem que estava a receber o computador introduziu o número cinco.
Esse cinco em luz ia-se a refazendo, parecia que a luz do número cinco se refazia continuamente sem que a mesma se tenha apagado.
As imagens que recebia por detrás do numero cinco, era a de uma terra, depois apareceu – lhe um lago um pouco oval e quando aí chegou por cima do lago o numero cinco que até então estava presente, apagou-se e ficou a visão do lago. Neste lago começaram a aparecer círculos concêntricos.
Em dado momento explode no centro dos círculos um fogo ou um vulcão.

Esta senhora percebeu que teriam encontrado um novo planeta e que devido à observação dos círculos na água e à explosão de fogo, havia a possibilidade de vida.

Logo de imediato a esta visão que lhe foi incutida na cabeça, deslocou-se para a sua janela a poente, onde avistou a tal nave meio encoberta, porque estava pouco vísivel, esta senhora pensou “não consigo ver claramente”. Imediatamente a nave iluminou-se toda por igual.
De referir que esta senhora muitas dias tem visões de naves, junto ao sol-posto.
O seu leque de percepções é substancialmente diferente do comum dos mortais, afirmando que vê estados vibracionais muito para além do que é conhecido.

Desde 1996 tenho acompanhado as declarações da senhora e tenho diversas gravações dos seus avistamentos e uma das declarações que não ponho de parte, prende-se com os outros sois que nos rodeiam, mas que não são perceptíveis à nossa vista.

Refere esta senhora que o outro sol não é a estrela sol normal, mas é o Divino Cristo solar. O D.C.Solar é um sol divino que acompanha o movimento da estrela sol no entanto tem independência própria, tendo também movimento próprio. Por vezes o mesmo desloca-se da sua orbita e comunica em sinais e em movimento, lançando a sua luz para certos pontos da Terra onde possam ser precisos, tentando ajudar e dando sinais muito grandes de auxílio.
Este sol tem uma luz cristalina diamatina puríssima. É ele que dá o dia. Este sol é o senhor do dia que cria a luz do dia, mas como segue a estrela sol, e também se põe, mas quando volta a nascer de manhã, começa logo com as suas manifestações.

Houve um dia que desse sol veio um tubo, o mesmo atravessou a janela do quarto. Esse tubo ficou a um centímetro da testa desta senhora. Segundo a sua percepção esse tubo, deverá ter uma outra tecnologia e ficou a alguns minutos a observar a sua testa.

Existe um outro sol, mais elevado em termos de pureza a que esta senhora vê e que apelida de “Divino Cristo Planetário”. Este outro sol, poderá também ser uma outra fonte de luz ainda mais pura e poderosa.
A pergunta que eu faço é será que é uma outra faixa de frequências astrais?

Para além destes dois sois anteriores existe mais um outro sol, que apelidou de “Divino Cristo das elevadíssimas vibrações” que aparece dos altíssimos céus com a sua poderosa luz, podendo actuar no fim dos tempos e poderá actuar sobre as situações de maior necessidade terrestre.

Comentário:
Escrever sobre assuntos tão profundos sem a mínima prova, não é a melhor forma de informar e tratar a ovnilogia.
Esta ciência e pleno desabrochar é o caminho para a compreensão de outras realidades fora da nossa percepção tecnológica.

Ao longo de dez anos de entrevistas com esta senhora, fiz várias gravações sonoras, tendo efectuado a última recentemente e na qual é tratado esta questão dos diversos sois e também uma aparição mariana que esta senhora teve em sua casa.

Nas diversas entrevistas, tive a oportunidade de receber muita informação que está para além da minha percepção.
Há um ponto que posso partir, estou perante um ex. caso de abdução. Maria Leandro lembra-se de ter um filho fora desta Terra.

Actualmente na APO começa a aparecer muitas informações que nos indicam novas realidades. Uma delas prende-se com a promoção dos abduzidos.
Depois dos diversos anos frios a que um abduzido é sujeito, obrigado a suportar as inspecções médicas e ginecológicas e nos quais aos mesmos não lhe é dada nenhuma explicação aos abduções para que servem ser levados, vem a seguir os anos de ouro.
A pessoa abduzida passa a pessoa contactada. Aí começa a ser levada a reuniões cósmicas e a viagens dentro de naves.

Lembro-me de esta senhora me descrever uma viagem que fez a partir de uma nave. Aí foi convidada a ir até uma janela, tendo visto que havia diversos riscos no céu.
Foi-lhe explicado que era resultante da elevadíssima velocidade a que a nave se deslocava, daí as estrelas parecerem riscos.

A sensibilidade desta senhora levo-a a escrever com mais 134 autores, diversos poemas, que foram publicados no livro “Da Poesia- Antologia de Poesia Portuguesa Contemporânea – Volume IV” da editora Minerva.

Tenho também diversos desenhos que ela fez com razoável qualidade, sem que sejam produto da sua antiga profissão de funcionária dos correios.

Luís Aparício