60º Aniversário de Roswell

O festival que começou na quinta-feira, incluía concertos ao vivo, concursos de mascaras, um desfile na avenida principal da cidade e várias conferências sobre aquilo que aconteceu em Julho de 1947, com temas que vão do roubo dos cadáveres ETs, até outra conferência que dizia “O que é que a NASA sabe”.

O festival começou na década de 90 para fomentar o debate mundial sobre a suposto caída dum ovni, baseado em restos encontrados no deserto e que o governo atribuiu a um balão meteorológico.

Os adeptos, sem dúvida dizem que o incidente de Roswell, foi uma manobra do governo norte americano para esconder a verdade sobre o que ocorreu nesse dia e que supostamente comprova a existência de vida extraterrestre.

Mas muito para além de serem mostradas provas aquilo que se verificou foi uma oportunidade de fazer negócios. O centro de congressos estava cheio de vendedores que apregoavam lembranças, bonecos, fotos de pessoas disfarçadas de ETs, leituras psíquicas e até um grupo que conseguia provar se o seu vizinho ou o seu chefe era extraterrestre. Outros ofereciam livros, DVDs, e obras de arte de tudo o que tenha a ver com outros mundos.

Al Dooley, a residir em Seattle, de 59 anos, veio até uma conferência no centro de congressos chamada “Arquivos britânicos sobre ovnis e a vigilância do governo sobre os pesquisadores de ovnis “. Vim para ver e ouvir visto a discussão é muito séria” afirmou Dooley que afirma ter visto um ovni em 1968 ou 1969.

O incidente do ovni em Roswell, consiste no suposto embate de uma nave ET, alguns especialistas de ovnilogia e o público veneram este caso. De tal maneira que já se escreveram muitos livros e feitos diversos filmes, tanto filmes de ficção cientifica como documentários sérios e muito bem feitos.
Os partidários da hipótese ET, consideram o caso de Roswell como um dos mais importantes acontecimentos ovnilógicos, considerando que a partir deste acontecimento, começou a ovnilogia moderna.

Os cépticos dizem que a hipótese de em Roswell ter caído uma nave extraterrestre apoia-se em premissas falsas e insuficientes e que apresenta demasiadas incoerências.
Admitem também que existem outras formas de explicar o sucesso de Roswell e que são mais plausíveis do que a hipótese de naves extraterrestres.
Além do mais deve-se ter em conta o lucro comercial através da venda de livros, entrevistas, etc; que obtêm os diversos apoiantes da causa extraterretre.
Os técnicos da USAF que participaram no projecto Mogul afirmam que é provável que o voou nº 4 do projecto Mogul se tenha despenhado em Roswell.

No episódio de Star Trek: Deep Space entitulado “Pequenos homens verdes”, o engenho que caiu em Roswell, havia vindo do século XXIV e os extraterrestres foram personagens Ferengi Quark, Rom, e Nog.
Em Futurama, os protagonistas viajavam acidentalmente no tempo até Roswell e onde encontraram o corpo destroçado de Bender, que tinha sido retirado de um ovni e o Dr. Zoidberg foi capturado e investigado na base militar.
No filme Independence Day, o engenho de Roswell era um explorador alienígena. Noutro filme Megadeth Hangar 18, foi feito baseado nos acontecimentos de Roswell.

Guy Malone, o organizador do festival, diz que as autoridades têm noção da importância de toda a história dos ovnis para a economia local: “Ao que parece, 11% a 12% do emprego em Roswell está agora ligado à indústria do turismo. Há uma década esse número era de zero vírgula qualquer coisa por cento.”

E com todos os desmentidos oficiais, a história dos discos voadores continua de pé. Como diz um dos residentes de Roswell, Dennis Balthaser, “o Governo tem uma longa prática em manter segredos. Exemplo disso é o projecto da bomba atómica, que foi feita em Los Alamos, a norte de Roswell; 50 mil pessoas estiveram envolvidas durante dez anos e conseguiram manter o segredo”.

Acrescenta que a convicção das pessoas de que o Governo está a esconder qualquer coisa vai continuar, pois “nos últimos seis meses, França e Inglaterra anunciaram que iam abrir os seus arquivos sobre ovnis, mas os EUA não fazem qualquer tentativa nesse sentido”. Malone concorda que “o mistério vai perdurar, vai continuar para sempre. Ninguém alguma vez terá uma prova conclusiva de que era ou não um disco voador”.


Voz da rádio de Roswell em 1947, anunciando a queda de um ovni (Quick Time)

Nota final;

 

estamos perante o sindroma do Prestes João, a sensação de abandonados numa ilha prisão, ansiamos sair de Gaia e conhecer outras culturas, queremos ir ao encontro do mítico Rei do Mundo, por isso qualquer acontecimento nos serve para fazer um apelo à conciliação dos desavindos Deuses do Olimpo, solicitando o seu retorno.
Luís Aparício
luz@oninetspeed.pt

http://www.elporvenir.com.mx/notas.asp?nota_id=144783
http://www.roswellufofestival.com/parade.htm
http://www.alienresistance.org/roswellufofestival.htm
http://dn.sapo.pt/2007/07/06/internacional/roswell_assinala_anos_chegada_ovnis.html