Astronauta da idade da pedra na pedra

A imagem fala por si mesma. É definitivamente um astronauta, completo com as solas de sapato que marcaram as pegadas do homem na Lua. Seria um grande mistério, não soubéssemos quem o esculpiu: Jerónimo Garcia.
O detalhe pretende representar a “idade do homem”, e a Jerónimo Garcia, nada melhor do que um astronauta para tal. O de Salamanca é, assim, um astronauta moderno, e não antigo.

Durante o restauro da Porta de Ramos da Catedral Nova de Salamanca realizado em 1992, foram integrados motivos contemporâneos e modernos, entre os quais uma figura esculpida de um astronauta. A inserção deste motivo deve-se à tradição dos antigos restauradores e construtores de catedrais que consistia em utilizar um motivo contemporâneo, dissimulado entre os motivos mais antigos, com o intuito de assinar as suas obras.

Não sabendo disto muitos turistas pensam que há ali a mão de conhecimentos antigos, mas aquela figura é bem moderna, por isso aqui deixamos a imagem que os novos restauradores decidiram ali deixar para homenagear os pioneiros do espaço do século XX.

Podemos dizer que este astronauta é realmente da idade da pedra em comparação com os nossos jardineiros, todos luz, que gerem as abduções e já em 1661 eram conhecidos dos lamas do Tibete, segundo as descrições do Jesuíta Alberto d’Orville.

Luís Aparício