Casos Portugueses

Ovni parado em Montejunto

Alexandre Tavares, tem 53 anos e vive na Arrifana perto da Serra de Montejunto, no dia 24 de outubro 2017 – terça-feira, estava à espera dum primo, entre as 06.44 e as 06.48 horas viu algo que lhe pareceu ser um avião por cima da Serra de Montejunto.
Aquele pressuposto avião estava parado o que contradiz a nossa normalidade aeronáutica a que estamos habituados.

Rios de naves – Epilogo duma dedicação

A Ana vive em Almada e tem 55 anos, é profissional de seguros, mas também se dedica à espiritualidade e a observar os fenómenos que estão ao seu redor. Diz que a vida é feita de tudo e é bom estarmos atentos para percebermos, quem somos e aquilo que fazemos aqui e qual é o objetivo de estar aqui na terra.

Milhares de naves na Costa da Caparica

Costa da Caparica dia 7 outubro 2017 – 23.10 h Celso diz que é bastante difícil descrever aquilo que viu, para comprovar mandou uma foto a uma amiga comum, a ANA. Aquilo que viu, descreve-o como uma grande cabeça com muitas naves com uma magnitude visual muito intensa, tinha a particularidade de acenderem e apagarem com tempos diferentes, isto é cada nave tinha a sua luz acesa durante um período de tempo diferente das demais. 

Muitas Luzes em Alpendurada

Armindo Dias tem 62 anos e é médico conjuntamente com mais duas médicas, estavam perto do Convento de Alpendurada junto ao rio Douro e cerca das 01,15 horas do dia 20 agosto 2017, viram passar muitas, muitas centenas de objetos luminosos no céu. As luzes eram cintilantes de cor branco amarelado e estariam a cerca de 10.000 metros de altitude.

Enorme nave no Ribatejo

Alexandre Tavares tem 53 anos e é músico e DJ e já trabalhou em diversas rádios. No dia 26 de maio 2017 sexta-feira, havia nesses dias as festas taurinas em Azambuja, eram 22:00 horas e o  céu estava limpo.

50 luzes lado a lado

Gonçalo Pereira, tem 37 anos, vive na Rua do Outeirinho em Santarém. Estava dentro da sua casa e foi chamado pela sua esposa para ver algo que o surpreendeu.

Bola de luz em Montejunto

João Ramos tem 57 anos e é perito forense vive em Lisboa, mas no sábado 22 de julho 2017, pelas 22,45 horas estava no Cadaval, com a família. A noite estava límpida e para sua supressa viu passar no céu uma bola de luz muita branca.