Chapéu Mexicano em Linda-A-Velha

O avistamento ocorreu, às 17 horas (cerca disso), em Linda-a-Velha. O avistamento foi visto através da janela da marquise, da casa onde vivo.

O objecto tinha cerca de 10 metros de comprimento, 4 ou 5 metros de altura e estava a cerca de 30 metros de altitude. A velocidade do fenómeno era lenta. Muito mais lento que um avião de carreira. O fenómeno não se imobilizou. Quanto à forma, parecia como que um chapéu mexicano em cima e outro em baixo (claro, o de baixo como que virado para cima). O aspecto do fenómeno era metálico, com contornos bem definidos. Não possuía luminosidade. O fenómeno tinha luz reflectida do sol. Não projectou raios luminosos. Não sei de existem mais testemunhas de observação. Era apenas um objecto. O movimento era linear e parecia como que a travar, já que a parte do objecto mais à frente estava mais acima do que a parte de trás.

Notei que desde que o vi foi-se aproximando do local onde o estava a observar. O objecto rodava muito rapidamente sobre si próprio. Tinha aparência sólida. Não houve mudanças de cor nem de forma. Não havia nem janelas, nem tripé nem outras estruturas exteriores. Tinha sulcos intervalados (como num pneu). Não possuía sinais ou faróis. Nunca chegou a projectar raios luminosos. O objecto era de uma cor preta metalizada. Não houve alteração de luminosidade ou de velocidade.

O objecto não estava envolvido por qualquer nuvem, fumo, etc., e não emitia rasto nem chama. Não houve alterações de altitude ou de direcção. O objecto era homogéneo, não tendo pontos mais brilhantes ou zonas mais escuras. Não iluminava os arredores. Reflectia os raios de sol. Não senti qualquer ruído, calor ou odor. O fenómeno não largou qualquer substância.

Parecia que o ovni ao travar fez deslizar a parte de baixo

Quanto a animais, havia os cães dos vizinhos, e não houve qualquer reacção por parte dos mesmos. Não observei qualquer objecto conhecido antes, durante ou depois da observação. O fenómeno desapareceu por trás dos telhados das casas.

Quanto aos problemas de ordem física, psíquica e afectiva, aconteceu que depois de iniciado o contacto telepático (como eu já vos descrevi) com um ser extraterrestre, ou humano do futuro, tive alguns problemas de adaptação, e tive sensações de controlo de pensamento por parte de outrem, fuga de pensamento, controlo das minhas emoções e reacções comportamentais por parte desse ser, e aconteceu que tive que ir ao psiquiatra (de urgência) e foi-me diagnosticado esquizofrenia.

Enfim!!! Estive internado um mês. Agora os mesmos fenómenos ocorrem mas lido com isso de uma forma muito diferente, pensando eu que estarei bem melhor adaptado ao contacto telepático.

Este avistamento foi alguns meses antes de uma experiência que eu passei, que eventualmente levou-me a uma tentativa de suicídio. Era um sentimento persecutório (programas de televisão a fazerem referência à minha vida pessoal), que deu início às minhas sensações de que estava a ser controlado por alguma entidade.

Hoje em dia, sinto que eu sou um privilegiado por ter este contacto, por me terem escolhido e por me “orientarem” para uma vida mais consciente e plena.
Embora deva dizer que já passei bastante mal, como já descrevi.

Quanto ao ser, vi “apenas” aquele ser azul, feito de uma luz azul, com sobrancelhas brancas, a apontar para um pequeno buraco negro. Isto, durante cerca de cinco segundos, e após ter pensado que gostaria de partilhar com alguém aquilo que tinha acabado de escrever.

Outros pormenores são: sensação de estar a ser electrocutado, acordando dessa maneira. Ou seja, acordar e logo a seguir senti como que corrente eléctrica a passar-me pelo corpo, e isto algumas vezes; noutra instância, eu pensei, a determinado dia, que a entidade não conseguiria materializar-se nesta realidade, e dias antes acordei, no escuro, com alguém a empurrar-me o pescoço.

Só depois é que relacionei que a entidade deveria estar a transmitir que conseguia materializar-se.

Noutros contactos, continuarei a tentar lembrar-me de mais acontecimentos.
Bem hajam,
Sérgio Resende