CHINA – Interesse crescente em ovnis e contactismo

Neste artigo, o repórter entrevista Sun Shili, professor reformado, de 61 anos, grande entusiasta e estudioso do tema e relata também outros episódios passados com outras pessoas, entre as quais Meng Zhaoguo, um trabalhador rural residente a nordeste da cidade de Wuchang.
Meng contou-lhe que aos 29 anos teria quabrado, pela 1ª e única vez, os votos de fidelidade marital com uma extraterrestre robusta e de elevada estatura (cerca de 3mt) e com seis dedos, mas em tudo o resto de aparência completamente humana. Segundo ele, talvez por isso, quando confessou à esposa a sua traição ela lhe tenha perdoado.

Quanto a Sun Shili, que chegou a ser tradutor de espanhol para Mao Zedong durante visitas de Estado de alto nível, conta que espera estar entre os 21 membros da delegação que representará a Terra nas primeiras negociações que tiverem lugar com os extraterrestres, e que serão escolhidos de entre as várias Associações Internacionais de Ovnis. Sun acha que as diferenças linguísticas não serão obstáculo já que supõe que as comunicações se farão a nível telepático.

Enquanto decorria a entrevista, Sun ia apontando para as pessoas que passavam na rua e explicava que provavelmente, muitas dessas pessoas seriam ETs disfarçados de humanos. Na sua opinião, os ETs estão cá para ajudar a Humanidade a evoluir gradualmente. Shakespeare e Einstein não eram de outro planeta, mas poderiam ter recebido inspiração de uma galáxia distante. Sun estima que cerca de 80% das novas invenções surgem às pessoas durante os sonhos e afirma que talvez seja esta a forma que os ETs utilizam para passar os seus conhecimentos e induzirem a Humanidade a evoluir doseadamente de forma a atingir a perfeição.
Os ETs transmitem-nos sabedoria aos poucos, pois se o fizessem de uma só vez, provavelmente não teríamos capacidade para perceber e lidar com toda essa informação.

Embora a maioria dos Chineses não demonstrem tanta intimidade a nível de contactismo e de conhecimentos, a verdade é que o interesse neste tema é cada vez mais relevante.

Actualmente, a China tem várias Associações registadas oficialmente, contando com cerca de 50.000 membros no total, embora haja quem estime o número de interessados em várias dezenas de milhar.

Segundo Richard McNally, um psicólogo da Universidade de Harvard, num país onde o Marxismo fez perder a espiritualidade para abrir caminho ao materialismo, a ideia da existência de mundos estranhos a anos-luz de distância, oferece uma réstia de esperança a muita gente.
Num estudo que desenvolveu em Ocidentais que afirmam ter sido abduzidos por ETs, McNally conclui que a maioria dessas pessoas consideram a sua experiência como “espiritualmente profunda”, e pensa que com os indivíduos Orientais se passará o mesmo.

Nota:
Ao que parece, na China como em muitos outros países, o despertar para uma nova realidade está a ter lugar.
Vai sendo cada vez mais difícil esconder, abafar, deturpar e ignorar fenómenos presenciados e vividos por um número crescente de indivíduos, para os quais não havendo explicação razoável, as justificações científicas e ortodoxas vão sendo cada vez menos plausíveis e mais difíceis de digerir e de aceitar.
Poderá haver relatos bizarros e até pouco credíveis, mas será que por isso e sem os analisar, os devemos classificar de imediato como ridículos? Não será mais sensato deixar uma margem para dúvidas?
Muitos certamente serão ficção, mas poderá haver alguns que nem por isso…
Vai sendo tempo das diversas correntes se unirem e canalizarem a sua atenção na análise de fenómenos estranhos e inverosímeis, mas nem sempre, e por esse motivo, menos reais.
Afinal, alguém sabe com o que é que estamos todos a lidar?