Cubo brilhante a rodar no Estoril

Parou o carro logo a seguir à ponte que cruza a A5 e à frente estava outro carro parado com um casal de pessoas idosas e o condutor estava fora do carro a filmar com o telemóvel. Para o Tiago não sabe há quanto tempo estava lá aquele ponto brilhante no céu, mas decidiu sair do carro, tirar algumas fotos com o telemóvel e também filmar.

O filho mais novo do Tiago que ia no banco de trás começou a chorar imenso. Para o Tiago isso foi um acontecimento anormal porque a criança de quatro meses quando vai no carro, vai sempre calada ou vai a dormir. A esposa do Tiago disse que o menino deveria estar com fome por isso esteve pouco tempo a ver o ovni.

O Tiago decidiu ir-se embora e assinalou a mudança de direção com os piscas do carro e começou a arrancar com o carro. Aquele objeto brilhante que parecia estar ali a pairar ou se deslocava devagarinho.
Ao longe parecia ter cerca de 5 cm e a partir do momento em que o Tiago arranca o ovni avançou em direção à posição onde o Tiago estava e deu-lhe a sensação que o objeto ficou maior com cerca de 30 cm. Conforme o ovni se aproximou fugiu para o lado esquerdo (para sul) a uma velocidade enorme e desapareceu. Aquele ovni teria que ter dimensões enormes. E não deixou quaisquer fumos ou barulho.

O Tiago ficou tão empolgado que seguiu para casa e deixou a sua esposa e os filhos e voltou à zona do avistamento, fez a reta da Avª da Republica e o nó da Avª de Alcabideche N6 B.

O ovni quando de início foi avistado pelo Tiago estaria talvez à mesma altitude que os aviões voam muito alto. Era um ponto que estava a rodar.

Depois o ponto aproximou-se do Tiago, mas continuou a estar muito longe, só que ao aproximar-se deu para perceber que era um cubo brilhante a rodar com cerca de 30 cm de diâmetro. Para o Tiago o objeto baixou de altitude, daí o tamanho dele ter sido maior.

Para o Tiago o objeto parecia quadrado mas ao mesmo tempo rodava e parecia redondo.

Aquele objeto parecia que estava a sondar o terreno por baixo, estava a deslocar-se lentamente. O Tiago não consegue dizer o que haveria na vertical onde o objeto estaria, tanto poderia estar por cima do mar, como poderia estar talvez por cima da localidade da Amoreira ou Cascais.

Depois deste avistamento o Tiago Simões à noite quando chega a casa vai para a janela contemplar o céu noturno, afirma que não se cansa de ficar muitas horas a contemplar o céu.

Depois deste avistamento o Tiago ficou com a sensação de que algo anda a espiar a sua casa. Quando está na cozinha tem que fechar os estores da janela porque dá-lhe a sensação de que está algo a olhar para si.

Luís Aparício
2015/01/08