Fenómenos Plasmóides

No século passado apareceram as barcas voadoras, antes de qualquer engenho pudesse voar, depois apareceram os Zeplins, antes de estes serem construídos. Agora que já temos engenhos anti gravíticos, como seja o caso do ovni do Robert Bob Lazar, eis que aparece algo surpreendente.
Os actuais fenómenos plasmóides, tem cerca de dez anos. As suas primeiras observações realizaram-se nos EUA e são do mais estranho que se possa imaginar.

O próprio nome diz, plasmóide, quer dizer que se modifica, transforma-se. É isso que tem sido apreciado, parecendo inclusive que tem vida. Os poucos relatos que vão aparecendo dão a impressão que o fenómeno absorveu outro, ou seja uma certa massa fundiu-se com outra que por lá se acercou. Até se podia dizer que eram Ovnis biológicos.
Parece-se por vezes que a forma é comparável a duma minhoca aérea gigante. Não devemos confundir este fenómeno com as varetas voadoras.
No dia 15 de Março 2002 a CNN divulgou imagens dum fenómeno chamado Jactos Azuis, que juntamos a foto acima tratada de forma a poder dar uma imagem como por vezes é visível, porque a foto é a preto e branco. Quando eventualmente são vistos pelo olho humano estes acontecimentos têm a cor azul.
Esta foto acima mostra precisamente dois corpos e que poderão se unir ou não, ou será esta foto a representação dum dos flashes que são observados pelos astronautas. Não existe ainda fotos do fenómeno plasmóide, por isso incluímos esta na tentativa de mostrar que no espaço existem fenómenos muito estranhos e ainda incompreensíveis. De salientar que estes jactos azuis no Japão chamam-se espírito vermelho.
Logo que seja possível iremos incluir nesta vertente imagens do fenómeno plasmóide.
Luís Aparício