Flashes

No nosso artigo sobre o avistamento no Castro de S. Paio a Irene Reis relatou-nos aquilo que via conjuntamente com o seu amigo Paulo. Em casa e por vezes em lugares públicos, ambos viam flashes de luz, por vezes muito intensos. Eis o relato da Irene Reis:

Sobre os flashes, eu resolvi contar sobre este ultimo flash que vi, porque foi diferente dos outros. Não vi só a luz branca, que agora sei é a parte final do avistamento, mas vi o flash na sua totalidade. E essa explosão de luz, que irradiou luz por toda a sala como um arco que vai aumentando, perturbou-me de algum modo. Andei uns dias que parece que tinha o flash gravado na minha fronte. Fiquei estranha. Não sei explicar. E também ando muito distraída.

Tenho que fazer um esforço para me concentrar nos assuntos do dia-a-dia, o que não acontecia antes.
Parece que algo me está sempre a distrair. Começo a fazer qualquer coisa, mas arrumo logo e começo outra e não acabo nada. Andei uns dias que aquela imagem do flash me vinha constantemente ao pensamento, e depois também ouvi aquele barulho, como uma chispa, que nunca tinha acontecido. Mas foi muito bonito.

Não sei o que isso possa ser, nem se tem algum efeito na minha vida, o que sei é que ultimamente a minha vida está muito conturbada, sempre problemas a surgir, principalmente nestas duas últimas semanas. Tem sido muita pressão.
Curiosamente e apesar dos problemas, tenho-me mantido muito tranquila, pelos menos por enquanto. Também o meu sono está perturbado.

Sempre dormi muito bem, sem acordar durante a noite e agora não é assim. Adormeço logo, mas durmo poucas horas e acordo durante a noite. Para além de que sonho muito. E lembro-me bem dos sonhos o que não acontecia dantes. Destes, tive dois, pelo menos, bem enigmáticos. Fantásticos, mesmo. Dizem que sonhar é dormir e talvez seja, não sei.

Apesar de o último flash de luz que vi ter sido o do dia 8 de Maio 2008, e que já o descrevi, têm acontecido algumas coisas, que poderão ter relação com os flashes, ou não, e que gostaria que me dissesse o que pensa sobre o assunto.
Conforme já disse, esse foi, até hoje, o último flash que vi, mas cá em casa, vejo, ás vezes, pequenos lampejos de luzes. São pequenos e tão depressa os vejo como desaparecem. Outras vezes, são pequeninas manchas, ou sombras, do mesmo tamanho.

Não sei se estou com problemas de visão, ou se isto tem algo a ver com os flashes.

No dia 20 de Maio 2008, pela 1ª vez que me lembre, sonhei com naves extraterrestres. Pelo menos no sonho, assim pensei. Estava num carro, á noite, com o meu amigo Paulo, e estavam mais 2 pessoas no banco da frente do carro. De repente vi, ao longe, na linha do horizonte, o que pareciam ser umas nuvens, cinzentas, que se deslocavam rapidamente. Chamei a atenção do meu amigo, mas ele não viu.

De repente, tão depressa desapareceram, como apareceram novamente a sobrevoar sobre as nossas cabeças. Eram naves extraterrestres, ou como lhes chamamos, discos voadores. Eram enormes. Uns em forma de disco, outros eram esferas luminosas, e voavam muito rápido, sem ruído, outras vezes ficavam parados a pairar no ar. Um disco aproximou-se do carro. Tinha vários metros de diâmetro, e era completamente transparente, num tom azulado, cor do céu, e só se notava os contornos, como se fosse uma teia de aranha a brilhar ao luar.
Era lindo. Dentro estava um “homem!” sentado num grande tapete, como os indianos, e manuseava um enorme painel de comandos, branco.

Depois colocou-se ao lado do carro. Eu tentei sair, para ir para a nave, mas as pessoas que estavam no banco da frente, estavam a demorar, e o disco partiu sem mim. Eu perguntei onde tinha ido, e alguém respondeu, que tinha ido ao Vaticano. Eu fiquei a pensar que também queria um “tapete!” assim. Foi quando reparei num grande emblema em madeira, que tinha na porta do carro. Tinha gravado uma enorme águia e umas letras que diziam “ VI – VENCI”.

No dia 21 de Maio sonhei novamente com várias pessoas. Eu tinha que ir a determinado lugar, mas a dada altura o meu relógio tinha parado e eu já estava atrasada. Eu via o relógio. Estava parado já há duas horas. Quando perguntei a outras pessoas, todas tinham o relógio parado na mesma hora, por volta das 11h. da manhã. Uma mulher disse-me para não ligar, mas eu sabia que o tempo tinha parado. Alguma força maior no Universo tinha feito parar o tempo.
Claro que isto são sonhos, mas deixaram-me impressionada, porque vivi-os como se fosse realidade.

No dia 25 de Junho 2008, estava a conversar com o meu amigo Paulo e de repente lá ia uma luz a deslocar-se pelo céu, e de repente a luz aumentou muito de tamanho, como um flash de luz na nossa direcção, e sempre em movimento foi diminuindo, diminuindo e desapareceu.

Já não me lembrava, mas já temos visto estas luzes a andar no céu antes. E não são aviões, pois as luzes dos aviões são intermitentes. É curioso, que estas coisas acontecem mais quando estamos juntos. Não sei porquê.

No dia 10 de Junho 2008, andei todo o dia com vontade de tirar fotografias. Achei que aquele dia era bom para tirar fotos. Disse-o ao meu amigo Paulo. Assim, no final do dia fomos tirar fotos e dirigimo-nos para a Praia do Paraíso perto da Aguedela entre Leça da Palmeira e Angeiras e cerca das 21.30 horas, estava eu com a minha câmara e ele com o telemóvel a tirarmos fotos á lua. Tiramos várias fotos, até que ele pegou na minha máquina e começou a tirar fotos com ela. De entre várias fotos que tirou, saíu esta que envio e que gostava que analisassem.
A princípio não vimos nada. Só passados vários dias, é que eu, ao passá-las para o computador, reparei nesta. Tem a lua, em quarto crescente, à esquerda, ao centro tem uma mancha avermelhada, não sei o que é, apareceu em mais duas fotos, e do lado direito, em cima, tem algo fantástico. A princípio pensei que era uma bola luminosa, como as que costumo fotografar em minha casa, mas quando aumentei, fiquei espantada. Já sei que é loucura, mas a mim parece-me um anjo. O meu amigo diz que eu tenho uma necessidade de tudo o que é espiritual, mas concordou que é algo fantástico.

Anjo como brinca a Irene Reis ou algo bem grande porque estava a uma altura enorme e era maior do que a Lua

Mancha vermelha optimizada

Outro tipo de Flashes

Uma outra variante dos flashes, são as luzes que vêm em direcção ao centro da testa.

Recentemente tivemos o relato de Maria Braga de Lisboa, viu aquilo que lhe parece ser um ovni à distância. Desse ovni viu sair uma luz, que veio embater no centro da sua testa.

Luís Aparício