Imagem do Hubble mostra duas novas luas de Plutão

A cerca de 5 bilhões de km do Sol, Plutão, o nono planeta, é o único que ainda não foi visitado por uma nave espacial. Seu primeiro satélite conhecido, o Charon, só foi encontrado em 1978. Com um diâmetro de 1,2 mil km, ele equivale à metade de Plutão, excepcionalmente grande para uma lua em relação ao planeta.

Mas agora, utilizando imagens do Telescópio Espacial Hubble, cientistas da Universidade Johns Hopkins, do Instituto de Pesquisa Southwest e do Instituto de Tecnologia de Massachussetts (MIT), disseram ter encontrado outros dois satélites orbitando o planeta, o P1 e o P2. Ambos estão circulando fora da órbita de Charon e são pequenos em comparação a ele, relataram os cientistas no diário Nature.

O P1, o mais distante de Plutão, tem um diâmetro entre 60 e 165 quilômetros, enquanto o P2 é 20 por cento menor. “Apesar de não podermos definir órbitas definitivas, os dois novos satélites parecem estar se movendo em órbitas circulares no mesmo plano orbital de Charon, com períodos de órbita de aproximadamente 38 dias para o P1 e 25 dias para o P2”, escreveram.

A descoberta dos dois novos membros da família de Plutão faz dele o único objeto no cinturão de Kuiper – uma vasta região de pedra e gelo além de Netuno, que contém fragmentos da formação do Sistema Solar – a ter múltiplos satélites, informaram os cientistas. Reuters