Meteoro no Brasil

O fenômeno tornou-se o principal assunto das rodas de amigos, mas o desconhecimento sobre o que poderia ser aquele objeto que desceu do céu em alta velocidade na forma de uma bola de fogo gerou as mais variadas conclusões.

O açougueiro Joaquim Bartolomeu de Souza, 73 anos, acha que um foguete em chamas caiu em algum lugar do município onde ninguém ainda conseguiu chegar. Souza contou, por telefone, que quando estava no ar o objeto parecia uma tocha de fogo e produzia barulho semelhante a uma seqüência de trovões. Mas quando se chocou com o solo, tinha o formato de uma grande bola.

Joaquim de Souza diz que ficou cismado, mas adianta que logo se tranqüilizou porque após a queda não aconteceu nada que pudesse prejudicar os moradores. “Mas continuamos sem entender o que poderia ser aquilo”, completou.

O estudante Ronielson de Oliveira, 16 anos, lembra que estava passeando pela rua na companhia de amigos quando ouviu o barulho e viu uma bola de fogo caindo do céu. Ele contou que se assustou com o estrondo e a proximidade.

Oliveira diz que o meteoro parecia tão próximo que ele chegou a pensar que o transformador da rede elétrica do qual estava a poucos metros havia explodido e sido tomado pelas chamas. “Eu acho que era um cometa”, analisou.

Estudioso de astronomia, Eduardo Baldacci, 39 anos, explicou que este mês a Terra está sob uma chuva de minúsculos meteoros que pode se estender até amanhã. Conforme Baldacci, uma média de 100 fragmentos espaciais, como partes da cauda de cometas que se desprendem pelo contanto com raios solares, estão caindo por hora mas raramente são perceptíveis.

Na astronomia o fragmento descrito pelos moradores de Lambari D’Oeste é chamado de “Bólide”, que significa um meteoro maior que o comum que ao penetrar na atmosfera terrestre produz ruído e se torna muito brilhante, podendo deixar um rastro luminoso. Baldacci acredita que o meteoro que caiu em Lambari queimou a vegetação e abriu uma cratera no solo.

Diário de Cuiabá