Ministério da Defesa Britânico disponibiliza mais documentos

Entre estes documentos, encontram-se os relatos de uma mulher que teria visto um objecto brilhante e esférico a subir ao céu, na cidade de Norwich, após encontrar um homem que dizia ter vindo de um planeta semelhante ao nosso.

A 20 de Novembro de 1989, a dita mulher, “completamente aterrorizada”, entrou em contacto com a Força Aérea em Suffolk, onde relatou como encontrou um homem de cabelos claros com um sotaque parecido com o dos países da Escandinávia, quando passeava com seu cão num campo desportivo.

O homem teria lhe dito que os chamados “círculos ingleses” que aparecem nas plantações, haviam sido feitos por outros como ele, que haviam viajado para a Terra vindos de outros planetas, e que o objetivo da sua visita era pacífico.

Ele teria dito também que falou com ela porque achava importante ter contacto com os humanos, apesar de ter recebido orientações para não falar com ninguém.

A mulher, que não foi identificada, correu para casa, ouviu um forte barulho e quando se virou, viu um grande objecto esférico, com uma luz laranja, a subir ao céu, até desaparecer de vista.

Uma carta da Força Aérea para o ministério, descreveu a experiência desta mulher como “um dos relatos mais incomuns sobre Ovnis que já recebemos”.

Três anos depois, dois controladores de vôo do Aeroporto de Heatrow, em Londres, relataram ter visto um objecto preto, com o formato de um bumerangue invertido.

Segundo eles, o objecto estava parado, e depois moveu-se lentamente em direcção ao sol da manhã.

Uma semana antes, numa estrada na costa, em Lincolnshire, várias pessoas haviam reportado visões similares de um objecto grande e triangular com três luzes.

Muitas das testemunhas teriam parado os carros para ver melhor o objecto.

Outros relatos contidos nos documentos, no entanto, têm explicações mais “terrenas”.

Em novembro de 1990, as tripulações de seis jactos militares reportaram ter sido ultrapassadas por um “Ovni gigante” quando sobrevoavam a Alemanha. Inicialmente pensaram tratar-se de um vôo de teste para o então secreto jacto americano Stealth.

Mas, o que eles viram foram os destroços em chamas de um foguete russo, usado para colocar um satélite em órbita.

A 31 de Março de 1993, vários relatos de luzes movendo-se sobre o sudoeste da Inglaterra e o sul do País de Gales, também foram ligados a um foguete russo.

Segundo David Clarke, especialista em OVNI´s, “a maioria dos relatos é composta de coisas normais, vistas em situações extraordinárias. Tantas coisas podem ser interpretadas como incomuns, que é preciso eliminar todo esse ruído e ver o que sobra. Eu não acho que existam evidências sólidas de que fomos visitados por vida inteligente, mas não acho que isso possa ser descartado.”

Os mais recentes arquivos divulgados pelo governo são os primeiros que contém informações escritas por funcionários da área de inteligência.

Também constam fotografias feitas a 4 de Agosto de 1990, que mostram um grande Ovni em forma de diamante, que teria sido visto durante quase 10 minutos antes de subir ao céu a grande velocidade.

Segundo Clarke, esses documentos estavam entre milhares de arquivos secretos que foram contaminados com a substância cancerígena amianto e que corriam o risco de serem destruídos. Os arquivos acabaram por serem salvos após uma campanha de historiadores.

Todos os sete documentos aqui referidos, estarão à disposição do público a partir do mês de Abril no site http://www.nationalarchives.gov.uk/ufos.

Quem quiser ler estes documentos, só tem que esperar pelo próximo mês, que já não se encontra muito “longe”.