Nave cheia de luzes em Almada

A Ana optou pela solução mais inteligente, ficou no seu terraço a ver a enorme nave. A Ana não consegue precisar a que altura estava a nave, acha só que deveria estar muito alta, mas consegue dizer que aquela nave deveria ser enorme no lá no local.

Disse-nos que a nave era tão grande que à distância dum braço estendido deveria medir cerca de 2 metros de diâmetro.
Depois duns minutos a observar pensou em começar a gritar pelo Joaquim. Logo que o marido voltou disse-lhe para ir buscar os binóculos. O marido ainda conseguiu ver a nave a deslocar-se devagarinho (SIC), até desaparecer, ficando imensamente entusiasmado, ainda por cima no seu terraço, não tendo necessidade de fazer vigílias noutros lugares (como a APO faz).

Nos dias seguintes outros acontecimentos fantásticos sucederam.

Luís Aparício