Olá, chamo-me Joana e só hoje tive conhecimento que existe um grupo em Portugal, que se dedica a investigar este tipo de matéria, entrei estão na vossa página, para investigar e já agora gostaria de deixar aqui, duas experiências que tive com objectos no céu não identificados, ambas de noite na região onde moro no distrito de Lisboa, concelho de Sintra, mais precisamente em Monte Abraão – Queluz.

1°- Por volta dos meus 10 anos, no final da década de 90, uma vez à noite quando estava em casa, numa marquise, observei uma luz vermelha que parecia atravessar o céu em linha reta. Pensei tratar-se de um avião, aconteceu entretanto, que a luz tomou a posição oposta e rapidamente se deslocou em vários sentidos em ziguezague, naquela zona do céu, até que subitamente desapareceu. Na altura chamei o meu pai, pois ele gostava do assunto e ainda ficamos um tempo a observar o céu, mas nada mais podemos ver a não ser uma ou duas estrelas naturais.

2°- Por volta do ano de 2016, também já de noite por volta das 2 da manhã, quando a luz da cozinha estava já apagada, antes de me deitar, como às vezes é meu costume, fui observar o céu e enquanto olhava, repentinamente, por cima do prédio surgem 3 luzes, despostas na forma de um triângulo equilátero, que lentamente percorria o céu, a princípio pensei que fosse um avião, apenas estranhei por estar bastante baixo e não projectar qualquer tipo de barulho. Quando passavam uns 5 segundos de observação as luzes desapareceram repentinamente, foi ai que me apercebi de que não poderia tratar-se de um avião, pelo menos um avião comum. Ainda chamei o meu irmão mas nada mais podemos observar.

Obs. No momento do ocorrido ainda conjectutei poder tratar-se de alguma nuvem que tivesse a impossibilitar a visualização, mas não, constatei claramente que o céu estava limpo.

Tenho também conhecimento de uma experiência que aconteceu com o meu bisavô materno, no Alentejo, mas como já é muito antigo não sei se adiantará de alguma coisa.
Deixo aqui estes relatos verídicos, que eu experiênciei, para que de alguma forma, possam ajudar em pesquisas e estudos futuros na área da ufologia.

Obs. Infelizmente nas duas experiências não tive qualquer oportunidade de fotografar ou filmar o sucedido.

Joana A

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

nv-author-image

Luís Aparício

Chefe de redacção, fundador e activista.