Novo Planeta descoberto

O planeta, considerado o mais parecido com a Terra dos planetas extra-solares conhecidos, é provavelmente rochoso como o nosso – em vez de um gigante gasoso como Júpiter e a maioria dos outros 155 planetas achados ao redor de outras estrelas ao longo da última década.

– Levou 150 observações dessa estrela para juntar informação sobre a existência desse planeta parecido com a Terra – contou o caçador de planetas Geoffrey Marcy, da Universidade da Califórnia em Berkeley. – Essa será definitivamente uma de nossas estrelas favoritas de agora em diante.

O sol do planeta primo é Gliese 876, uma estrela que tem um terço da massa da Terra e é visível na constelação de Aquário. Ela está a 15 anos-luz. Apesar de sua massa pequena, esse é o terceiro planeta descoberto em torno de Gliese 876. Os outros eram grandes como Júpiter ou maiores.

– É um planeta muito misterioso – disse Jack Lissauer, do Centro de Pesquisas Ames, da Nasa. – É provavelmente o primeiro planeta rochoso orbitando uma estrela como o nosso Sol.

O novo planeta é o menor dos planetas extra-solares já detectado. Ele tem 7,5 vezes a massa da Terra e um diâmetro quatro vezes maior. Antes disso, o menor planeta achado fora do nosso Sistema Solar tinha 15 vezes mais massa que a Terra – o que os tornava mais parecidos com Netuno, distante e gelado.

Em contraste, a superfície do novo planeta é quente demais. Estima-se que a temperatura fique entre 204 e 301 graus Celsius. É demais para permitir a subsistência da vida como se conhece na Terra.

Enquanto a Terra fica a cerca de 150 milhões de quilômetros do Sol, o novo planeta extra-solar quase abraça sua estrela, ficando a 3,2 milhões de quilômetros.

Um ano-luz equivale a 10 trilhões de quilômetros. Em termos astronômicos, 15 anos-luz é algo como “ali na esquina”.

“É como um primo maior da Terra”, comparou Paul Butler, do Instituto Carnegie, de Washington, num comunicado sobre a descoberta. Butler é da equipe de pesquisadores responsável pelo achado.

O novo planeta dá uma volta em torno de sua estrela a cada dois dias terrestres.

Como dezenas de outros planetas extra-solares detectados ao longo dos últimos 10 anos, este foi primeiro descoberto devido a uma variação que sua gravidade exerce sobre a luz emitida pela estrela.