Nuno Silveira visita Mário Rangel

Durante o fim de semana de 2 e 3 de Outubro, tive o privilégio de me deslocar até S. Paulo e de ter sido por ele recebido em sua casa. Descobri ser ele não só detentor de um vasto conhecimento sobre ovnilogia, principalmente sobre a vertente das abduções, como a sua humildade, acessibilidade e simpatia rapidamente me fizeram sentir á vontade e na companhia de um amigo.

Além de me ter mostrado a cidade e dado a provar frutos exóticos de que nunca tinha ouvido falar, como a Carambola ou a Fruta do Conde, mostrou-me ainda os seus vastos arquivos, fruto de décadas de investigação. De facto, Mário Rangel foi um dos primeiros ovnilogistas em todo o mundo a se deparar com o fenómeno das abduções, logo no início da década de 80 do século passado, chegando á conclusão de que os extraterrestres estão apenas a realizar um profundo estudo sobre a raça humana.

Por entre as dezenas de regressões que constam do seu arquivo e que constituem o seu livro e muitas outras que constituirão o seu segundo livro que espera vir a escrever, tive o privilégio de ter nas minhas mãos uma radiografia mostrando claramente dois implantes no pé direito de uma abduzida que continham propriedades magnéticas. Esta e outras evidências que me relatou demonstram claramente a realidade do fenómeno.

Por outro lado, durante a palestra que realizou no hotel “Wall Street” em S. Paulo, num curso de hipnólogos, mostrou-me claramente como é facil para um hipnotizador criar uma memória falsa. Alertou-me por isso para a necessidade de hipnólogos competentes na investigação e foi com satisfação que soube que a sua amiga e colega Gilda Moura, trabalha com a APO neste novo passo para a ovnilogia nacional que é o reconhecimento da existência e o estudo dos abduzidos portugueses.

Recomendo por isso a leitura do seu livro, que está disponível em Portugal e nos países lusófonos, mas apenas nas seguintes bibliotecas,

1..Na Biblioteca Nacional de Lisboa;
2..Biblioteca do Arquivo Histórico Nacional, Cabo Verde;
3..Biblioteca Pública Municipal, Porto;
4..Biblioteca Central do Instituto Cultural, Macau;
5..Centro Cultural Português, Timor Leste;
6..Centro Cultural Português, São Tomé e Príncipe;
7..Centro Cultural Português, Luanda/Angola;
8..Biblioteca Nacional, Maputo/Moçambique;
9..Biblioteca Municipal do Barreiro, Portugal;

Ao Mário Rangel, um grande obrigado por tudo!

Nuno A. Montez da Silveira