O Grande Urso não está morto!

Na última quarta-feira, a imprensa russa ofereceu maiores detalhes sobre a nova tecnologia furtiva do Kremlin (que permite aos aviões militares escapar da detecção pelos radares). De acordo com a agência Itar Tass, a nova capacidade furtiva utiliza um campo de plasma que envolve os aviões de combate e absorve as ondas eletromagnéticas.”. A tecnologia furtiva norte-americana utiliza materiais absorventes usados na construção do exterior do avião. Os EUA foram os primeiros a desenvolver essa tecnologia e os primeiros a empregá-la em combate, tanto na Guerra do Golfo quanto na Bósnia.

Essa tecnologia funciona, e é eficiente, permitindo que o avião aproxime-se de um alvo sem ser detectado pelo radares do inimigo. Os EUA já construíram caças-bombardeiro e bombardeiros de longo alcance com essa tecnologia e estão trabalhando em um caça-interceptador furtivo de alto desempenho.

No entanto, agora, os russos desenvolveram um caça furtivo que não escapa do radar por causa dos materiais utilizados em sua construção, que absorvem as ondas eletromagnéticas, mas por que o avião está envolvido por um escudo de plasma que absorve todas as ondas eletromagnéticas do radar do inimigo.

Essa é, realmente, uma técnica inovadora. Entretanto, o plasma emite muito calor, de modo que pareceria plausível que um radar que detecte as ondas de calor pudesse prontamente detectar a aeronave furtiva russa cercada por um escudo de plasma.

Assim, a questão é, ‘os radares utilizados pelas forças americanas incluem a capacidade de detectar as ondas de calor’?

É evidente que não, pois caças-bombardeiro furtivos russos sobrevoaram o porta-aviões norte-americano Kitty Hawk , sem serem detectados pelos seus radares, nem pelos radares Aegis [supostamente os mais sofisticados do mundo] do cruzador acompanhante, nem pelos diversos outros radares utilizados pela Marinha americana.

Esses caças-bombardeiro furtivos russos penetraram bem no interior do Grupo de Batalha que acompanha o porta-aviões – e teriam feito todos os navios em pedaços, se fosse uma situação de combate real! De acordo com os informes de notícias, depois que os bombardeiros russos foram avistados, o Kitty Hawk ainda precisou de quarenta minutos para colocar o primeiro caça- interceptador no ar! [Nota do tradutor: Esse porta-aviões pertence ao Grupo de Batalha da Sétima Frota, que opera no sudeste asiático.]

Claramente, os russos aprenderam muito sobre as capacidades americanas de detectar aviões furtivos, e do seu atual estado de prontidão uma vez que um inimigo é avistado.

Eu literalmente estremeci ao perceber as implicações desse teste de vôo dos russos sobre um de nossos porta-aviões.

Não somente eles possuem a tecnologia para tornar toda sua aviação invisível aos nossos radares, mas o estado atual de prontidão dos nossos militares é tão baixo que foram necessários quarenta minutos para colocar um caça interceptador no ar!

Agora, a questão da hora é saber se o radar NORAD, que oferece vigilância contra um ataque russo pelo Polo Norte, tem a capacidade de detecção das ondas de calor. Na verdade, esse radar ainda está em operação? Parece que o presidente Bush (pai) o desativou pouco antes de deixar a presidência.

Assim, isso significa que os bombardeiros furtivos russos, voando protegidos por seus escudos de plasma, poderiam aparecer de surpresa sobre qualquer alvo americano!