O Sabio do Tibete

Caminhamos em volta e a um lado mais distante vimos uma escada de metal cinza estendida desde a entrada daquele engenho até o solo. Eu me precipitei para ela, esquecido de que como um jovem iniciante nas Ordens Sagradas deveria demonstrar mais compostura.
Mas avancei e apressadamente subi a escada sem me preocupar em verificar se a mesma estava fixada com segurança. Estava. Uma vez mais, assim que minha cabeça bloqueou o vão da porta, as luzes se produziram dentro daquele engenho. O Lama Mingyar Dondup, para não ficar para trás, subiu até o interior da máquina e disse:

— Ah, Lobsang, isto é uma das carruagens aladas dos deuses. Você já as tem visto passar, não é assim? – oh» sim, senhor. Pensei que nelas iam os deuses atravessando nossa terra para ver se tudo estava em ordem, mas, é claro, nunca tinha visto um desses veículos tão de perto como agora.

Olhamos à nossa volta e nos pareceu estarmos numa espécie de corredor a cujos lados se alinhavam armários ou escaninhos, ou algo similar. Fosse o que fosse, experimentei puxar uma alça e uma grande gaveta abriu-se tão suavemente como se tivesse sido feita recentemente. Dentro havia toda espécie de estranhos dispositivos.

O Lama Mingyar Dondup espiou por cima de meu ombro, pegou uma das peças ali contidas e disse:

— Ah! Isto devem ser peças de reposição. Não tenho dúvida de que esses armários contêm peças extras em número suficiente para fazer esse engenho funcionar novamente. Nós fechamos a gaveta, e nos movemos de novo. A luz moveu-se à nossa frente e ofuscou-se assim que avançamos mais, e logo alcançávamos um grande aposento. Assim que nele entramos, tornou-se brilhantemente iluminado, e abrimos um olhar de surpresa.

Aquela era obviamente a sala de controle do engenho misterioso, mas o que nos deixou boquiabertos foi o fato de haver homens ali. Um deles estava sentado no que supus ser o assento de controle e estava olhando para um medidor num painel à sua frente. Havia ali um bom número de medidores, e conjeturei que ele estava ultimando uma decolagem. E disse:

—Mas como podem esses homens ter um milhão de anos? Eles parecem vivos, mas profundamente adormecidos. Havia um outro homem sentado numa mesa e com algumas grandes cartas de navegação à sua frente.

Encomendar


O Sábio do Tibete
Leia mais