Ovni vem visitar Lisboa no dia Mundial do ovni

No local encontrava-se  com a  namorada a lançar um papagaios que fizera em casa. No momento em que o papagaio se encontrava no ar e no enfiamento deste, vê um objeto esférico, parado no céu azul.

Óculos polarizados, bom instrumento para pesquisa ovni

O mesmo realçava no meio daquele azul do céu. Rui Silva ficou ainda mais desperto para este objeto visto ter colocado para proteger os olhos dos raios solares, uns óculos Rayban polarizados. Estes óculos têm a particularidade de realçar a imagem para onde olhamos e por isso tenha conseguido detetar rapidamente o tal objeto. Sem os óculos também se conseguiria ver mas com mais dificuldade.

 A sua namorada também viu o objeto e descreve na íntegra o mesmo que o Rui via. Estiveram mais de 10 minutos à espera que o objeto se mexesse ou fizesse algo, e nada. Nestes dez minutos não estavam constantemente a olhar, fazíamos pausas e quando voltavam a olhar, lá estava ele no mesmo local.

 Para ter uma melhor perceção se ele se movimenta-se ou não o Rui, colocou-se junto de uma casa, que é um objeto fixo, e assim tirar as suas conclusões. Passado pouco tempo, passa um avião que se dirigia para o aeroporto de Lisboa baixa altitude e o objeto encontrava-se alto em relação ao avião. De seguida passa outro avião a uma altitude de 12.000 metros, porque se via a condensação dos motores e normalmente eles cruzam os céus a esta altitude.

 Foi neste momento que conseguiu ter a noção do tamanho do objeto avistado, deveria ter o tamanho de metade de um avião, e sem dúvida que se encontrava bem mais alto do que os 12.000 metros a partir da superfície terrestre. Desconhece a distância que vai do avião ao ovni.

Abandonaram o local para ir a casa para ir buscar os binóculos e quando regressaram o ovni já não se encontrava no mesmo local.

No domingo Rui Silva ligou para a NAV-controlo aéreo e eles informaram-no que ninguém lhes relatou de nada sobre este assunto.

Rui Silva chegou a filmar mas a camara que tinha na altura não era possuidora de zoom por isso não ficou nada no filme.

 Luís Aparício