Robert O. Dean e os segredos da OTAN

Sempre relatados como objectos grandes, incrivelmente velozes e ainda capazes de voar a grandes altitudes, os objectos desconhecidos quase causaram um conflito á escala mundial, precisamente em Fevereiro de 1961, quando cinquenta objectos foram detectados, vindos do território russo, em direcção à Europa, a cerca de 30 mil metros de altitude.

Os aliados pensaram tratar-se de um ataque aéreo russo e colocaram imediatamente todo o seu esquema bélico de defesa em alerta, ao passo que os soviéticos julgaram tratar-se de uma invasão aliada e procederam da mesma forma. Após cerca de nove minutos de controlo, os objectos deslocaram-se para o espaço exterior e o estado de alerta de ambos os lados foi cancelado.

Curiosamente, contudo, Dean constatou que apesar da guerra-fria estar no seu apogeu, existia uma verdadeira e até bastante estreita ligação entre os russos e os altos escalões da OTAN, especificamente no que dizia respeito aos assuntos que envolviam OVNI´s.

Uma linha telefónica directa e secreta, fora instalada no alto comando aliado, interligada ao mesmo nível, ao bloco comunista. Essa linha fazia parte de uma rede que por sua vez alcançava Washington, nos EUA, pois os governos sabiam que tais máquinas voadoras desconhecidas representavam uma ameaça ao mundo e não só a países isolados e que somente poderiam ser detidas se todas as potências terrestres se unissem no caso de um eventual ataque.

Em Janeiro de 1964, o oficial norte-americano teve acesso directo a um documento secreto da OTAN, denominado Cosmic Top Secret, composto por um volume grosso, no qual constavam informações estarrecedoras, ao ponto de Dean declarar que jamais iria esquecê-las. Estavam lá expressas as preocupações da OTAN quanto à possivel ameaça representada pelos OVNI’s, tanto que a organização percebera a necessidade de se obter todo e qualquer conhecimento relacionado a este problema, o qual aparentemente não tinha solução imediata.

Foram enviadas equipas técnicas e militares para as universidades de todo o mundo, tais como Oxford, Cambridge, Sorbonne e Masssachusetts Institute of Tecnology, em busca de todas as informações que fossem possíveis de se obter, nos campos da Química, Biologia, Física Quântica, Psicologia e até Teologia.

Constavam também no documento oficial, artigos relacionados à Teoria dos Campos Unificados de Albert Einstein, níveis de radiação encontrados nos locais de aterragem, espalhados por todo o planeta e, como não poderia deixar de ser, depoimentos de pilotos militares e fotografias aéreas de carácter impressionante, por estes obtidos. Incluindo-se, é claro, casos de abduções e de outros tipos de depoimentos civis e militares, envolvendo os mais diversos tipos de contactos.

Num desses artigos, intitulado “Autópsias de entidades alienígenas”, estava relatado o mais impressionante de todos os tópicos abordados.

Em 1961 foram recuperados dos destroços de uma nave acidentada, os cadáveres de 12 pequenos seres, todos mortos pela violência do impacto, registados em dezenas de fotografias nítidas. As criaturas, descritas como “cinzentos” (grey´s) foram colocadas em vários veículos militares. Os destroços do OVNI, para melhor facilidade de transporte, foram desmantelados em seis partes, sendo cada uma delas colocada em contentores especiais e todas encaminhadas directamente para os EUA, para a Base Aérea de Wright Patterson, em Ohio, onde existiriam instalações ultra secretas, destinadas á recolha e análise dos restos desses objectos.

Tal como no caso Roswell, foi realizada uma autópsia aos cadáveres daquelas criaturas. O documento secreto da OTAN estava repleto de fotografias que acompanhavam passo a passo todas as operações desenvolvidas. As conclusões dos peritos diziam que não possuíam aparelhos reprodutores. Por outro lado, constataram que eram também desprovidos de órgãos digestivos e não processavam os alimentos como os seres humanos. Não tinham, portanto, sistemas de evacuação como os humanos e pareciam serem feitos em série, num processo de clonagem.

Dean declarou que sentiu-se verdadeiramente tomado por calafrios, tremores e de medo.

Na localidade de Timmesdorfer, Alemanha, nas proximidades do Mar Báltico, outro OVNI embatera contra o solo a grande velocidade, tendo ficado com cerca de um terço da sua estrutura enterrado no solo, conforme demonstravam as nítidas fotografias anexadas ao respectivo documento de investigação. Pelo facto de já ter sido detectado e seguido durante todo o seu movimento até ao momento da colisão, as forças militares britânicas foram as primeiras a chegar no local. Os soviéticos, por sua vez, chegaram logo a seguir.

Porém, segundo Dean, o facto mais marcante era representado pelas seguintes conclusões, de carácter oficial da OTAN sobre o fenómeno OVNI:

1 – O planeta Terra e a raça humana estão a ser alvo de uma detalhada observação de tipo e propósito ainda não totalmente esclarecidos, efectuada por várias espécies de civilizações extraterrestres. 4 das quais já identificadas. A primeira é bastante parecida com a nossa, quase indistinguível; a segunda é semelhante à raça humana em altura e estatura, porém têm a pele com uma tonalidade cinzenta e pálida; a terceira, representada pelos seres de baixa estatura, bastante relatados nos contactos efectuados em todas as partes do mundo, denominados de “cinzentos (grey´s)”; a quarta, trata-se de uma raça meio reptiliana, cuja pele é semelhante à dos lagartos e cujos olhos são dotados de pupilas verticais.

2 – Essas visitas alienígenas têm ocorrido há já bastante tempo, desde á pelo menos 200 anos da História conhecida, ou talvez mais.

3 – Aparentemente os alienígenas como um todo, não seriam hostis a nós, uma vez que, se assim o fossem, já teriam demonstrado tal comportamento há mais tempo, atacando-nos abertamente e de alguma forma.

4 – As rápidas aparições dessas naves, bem como as manobras de evasão e os sobrevoos instantâneos, denotariam demonstrações propositadas, talvez com o intuito de nos mostrar algumas das suas capacidades técnicas.

5 – Há um processo, ou plano, que parece estar a ser desenvolvido, já que esses sobrevoos passaram a resultar em aterragens e, finalmente, em contactos mais directos com os humanos.

Finalmente, concluiu John Dean no seu fantástico e bastante esclarecedor depoimento:

“Sei o que estou a arriscar ao declarar tudo isto, violando os meus juramentos. Já passei por todo o tipo de situações na minha vida, mas nada se compara com aquelas coisas que vi e li. Acho que alguma coisa deve ser feita: o problema dos OVNI’s é sem dúvida, a questão mais intrigante dos nossos dias e o público tem sido sistematicamente enganado e mantido em completa ignorância em relação aos factos importantíssimos destes anos todos. Considero isto o maior escândalo científico e político que já ocorreu. Além disso, o que tenho a perder ao dizer aquilo que sei? Vão me silenciar? Matar-me? Algum dia terão que dizer a verdade, mas isso deveria ser feito o mais rapidamente possível. É inadmissível que adiem por mais tempo essa decisão!”

Artigo baseado no trabalho de Sérgio O. Russo.
A foto que acompanha o artigo foi tirada do site da “Dreamland Interactive Ufo”.