Tal & Qual noticia ovnis

O Tal & Qual, reproduz a seguinte caixa na página quatro:
A Associação de Pesquisa Ovni (APO) é única em Portugal e tem por objectivo o estudo e a divulgação do fenómeno ovni em todas as suas vertentes. É a prova viva de que este tema tem merecido cada vez mais a atenção em Portugal, servindo também como ponto de encontro e debate de casos de abduções, encontros imediatos e avistamentos. Formada em 2003, a associação promove o encontro mensal, de entrada aberta ao público, para quem quiser expor as suas experiências, dúvidas e troca de ideias. É habitual ainda a organização de fins-de-semana de campo, com vigílias nocturnas nos pontos mais quentes do País em termos de avistamentos.

Apresentação na página Um

Garantem que a vida deles nunca foi a mesma. E, quando contam aquilo por que passaram, sentem que são vistos como aldrabões. Mas, entre aqueles que dizem ter sido levados por criaturas de outros planetas, há quem fale com sinceridade até ao último minuto e acredite que o seu caso tem mesmo de ser investigado.

Excerto da página três

Objectos colados ao corpo
Um dos casos que a Psicóloga Gilda Moura, acompanhou e sujeitou, inclusivamente, a uma regressão hipnótica que considerou convincente, foi Ana, uma mulher de meia-idade, residente no centro do país. O seu depoimento, disponível no site da Associação de Pesquisa Ovni (APO), refere uma história de abdução. O seu caso teria ocorrido a 1 de Agosto de 1992. Passava pouco das 23 horas quando ela e o marido de regresso a casa, foram surpreendidos, no cimo de uma serra, por um objecto voador negro e com a parte de trás pontiaguda.

O Ovni, que emitia uma luz amarela, passou por eles a grande velocidade e desapareceu na multidão. Então, algo estranho se passou. Segundo o relato, o casal encontrava-se a cerca de 15 minutos de casa, mas a viagem acabou por durar muito mais. Passaram três horas entre o avistamento e a chegada a casa, sem que haja explicação para o sucedido.