Você acredita em ovnis?

O misterioso incidente ocorreu em 21 de abril de 1991, no condado de Kent, sudeste da Inglaterra, quando um avião comercial que aterrissaria no aeroporto londrino de Heathrow esteve perto de se chocar contra um desses objetos, segundo revelam documentos do Ministério da Defesa britânico. O capitão de um vôo da Alitalia se mostrou tão preocupado com a situação que chegou a gritar “cuidado” a seu co-piloto, após observar em cima de seu avião um objeto de cor marrom que tinha a forma de um míssil, indicam os documentos secretos. O fato foi investigado pela Autoridade de Aviação Civil (CAA) e os militares.

O Ministério da Defesa decidiu fechar o caso como assunto não resolvido, após chegar à conclusão de que não era nem um míssil nem um balão meteorológico ou mesmo um foguete espacial. Esse “encontro próximo” e inexplicável permanecia em segredo nos Arquivos Nacionais de Kew, sudoeste de Londres, e faz parte de outros casos similares que não puderam ser esclarecidos.

“Cuidado! Cuidado!”. O avião da Alitalia, um MD80, fazia a rota entre Milão (Itália) e Heathrow (Londres) com 57 pessoas a bordo, quando o piloto Achille Zaghetti observou o objeto não-identificado, que estava cerca de 300 metros acima de seu aparelho. “Imediatamente o co-piloto disse para mim ‘cuidado, cuidado’, e olhou e viu o que eu vi”, relatou o piloto.

O documento revelado acrescenta que a emissora “Southern TV” transmitiu o relato de uma criança de 14 anos que afirmou ter visto um objeto que tinha forma de míssil e estava a um nível muito baixo antes de subir e desaparecer no céu. Ao mesmo tempo, uma investigação do Ministério da Defesa concluiu que o objeto não era do Exército. Desta maneira, o ministério decidiu arquivar o assunto e assinalou: “É nossa intenção tratar esse caso como de outro objeto voador não-identificado e, portanto, não faremos mais investigações”.

Para céticos e crentes.

Os documentos, de propriedade do Ministério da Defesa britânico e recentemente revelados, informam sobre visões de supostas figuras extraterrestres e de óvnis em diferentes lugares do Reino Unido.

Pela primeira vez, oito documentos, redigidos entre 1978 e 1987, estão desde maio deste ano disponíveis ao público, e os Arquivos Nacionais esperam revelar outros 150 documentos nos próximos quatro anos. Entre os textos, alguns de até 450 páginas, está o que diz respeito à visão de uma suposta nave extraterrestre na localidade de Wallasey, centro da Inglaterra, e outro sobre a ponte de Waterloo, em Londres.

Essa informação foi considerada tão importante que as autoridades pediram à Polícia e às bases militares aéreas que registrassem qualquer observação de objetos inexplicáveis. Mas a equipe de inteligência da pasta da Defesa estava mais interessada em saber se os casos de supostos óvnis eram na realidade missões de espionagem encobertas de outros países.

Um documento de 1983 assinala que o “único interesse do Ministério da Defesa em relatórios sobre óvnis é estabelecer se revelam alguma coisa interessante para a defesa”. “Os relatórios são enviados ao pessoal de operações que os estudam como parte de seus deveres normais. O Ministério da Defesa não nega que há coisas raras no céu”, completa.

Nick Pope, que trabalhou para a Defesa durante 21 anos e tinha a responsabilidade de investigar tais visões, disse que, “apesar de não haver evidência de pequenos homens verdes nestes arquivos, eles são de um imenso interesse para céticos e crentes”. “As visões de óvnis são possivelmente uma má identificação de luzes de aeronaves e meteoritos, mas alguns são mais difíceis de explicar, e há óvnis vistos por agentes da Polícia e pilotos, e casos registrados em radares”, acrescentou.

Pope explica em um documentário que uma das razões que tornam esses relatórios tão interessantes para a ufologia é o fato de mostrarem casos em zonas urbanas, já que tradicionalmente os mesmos acontecem em áreas rurais e pouco povoadas.

Apesar disso, Pope diz que a explicação mais comum sobre os relatos de visões seria confusão com luzes de aviões, estrelas brilhantes e planetas, satélites e meteoritos, ou ainda balões meteorológicos.

Em um dos relatórios se descreve o caso de um homem que explicou em detalhes seus contatos “físicos e psíquicos” com extraterrestres desde que era pequeno. Segundo explicou tal depoente, um dos extraterrestres, a quem chamava de Algar, foi assassinado em 1981 por outros “seres estranhos” quando estava a ponto de entrar em contato com o Governo britânico.

Um homem de 78 anos revela ainda as experiências que diz ter tido ao encontrar-se com um extraterrestre em Aldershot (Hampshire) em 1983. Em seu relato assegura que entrou em uma nave, dando uma descrição detalhada da mesma. O abduzido acrescenta que foi libertado por causa de sua avançada idade.

Em outro caso, clientes e funcionários de um “pub” na localidade de Tunbridge Wells (sudeste da Inglaterra) disseram ter visto um objeto com luzes verdes e vermelhas que se dirigia ao aeroporto londrino de Gatwick.

Em um texto de 1984, várias testemunhas asseguraram que tinham visto um disco voador sobre a ponte de Waterloo, enquanto em outro de 1986 um piloto denunciou um objeto difícil de explicar bem perto de sua aeronave. São fatos estranhos, todos eles difíceis de acreditar, mas também difíceis de se explicar.

Por Isabel Martínez Pita/ EFE